Você está aqui
Início > EM BH > UMMAGUMMA SE APRESENTA AO LADO DE EX-BACKING VOCAL DO PINK FLOYD

UMMAGUMMA SE APRESENTA AO LADO DE EX-BACKING VOCAL DO PINK FLOYD

ummagummaPara a alegria dos fãs do Pink Floyd, o Ummagumma, um dos maiores cover da branda inglesa em todo mundo, está de volta a BH. E dessa vez, eles não vem sozinhos. A cantora estadunidense Lorelei McBroom participará da apresentação que acontece nos das 30 e 31 de julho, sábado e domingo, no Sesc Palladium, Centro da capital.

Lorelei McBroom entende de Pink Floyd, acreditem! A artista fez história com a banda original, atuando como backing vocal  durante a turnê “Delicate Sound of Thunder”, em 1988, de divulgação do álbum “Momentary Lapse of Reason”, de 1987. Sem dúvidas é muita história para contar e você irá conferir logo abaixo e uma entrevista exclusiva do Contorno de BH com Lorelei.

A turnê é a “Where We Star”, que também comemora os 14 anos do Ummagumma. A apresentação é realizada por 25 pessoas, entre músicos e produção, proporcionam mais de duas horas de uma experiência de timbres, luzes e projeções, tendo como band-leader o guitarrista e vocalista Bruno Morais.

Desde 2004 o Ummagumma realiza apresentações anuais em Belo Horizonte, de forma ininterrupta – foi em BH que o grupo teve seu maior público até hoje, 5 mil pessoas, em 2013, no Chevrolet Hall. Para Isabela Morais, construiu-se uma relação muito íntima nesse tempo. “Fizemos grandes amigos dentre o público que vem acompanhando ano a ano os shows aqui. A vinda de Lorelei pra cá é uma feliz coincidência. Ela entrou em contato com a gente há alguns meses e desde então estamos trabalhando para conseguir fazer acontecer esse encontro, que calhou de ser em Belo Horizonte. E ficamos muito felizes em poder proporcionar a BH esse presente, como forma de agradecer e retribuir o carinho e o reconhecimento grandiosos que recebemos da cidade.” Muitas pessoas chegam a afirmar convictamente que trata-se de uma banda da cidade, tamanha a recepção e a constância de shows na capital mineira.

Dê uma olhada no teaser do show e entenda um pouco do porquê você não pode perder:

Agora, você quer saber como é estar no mesmo palco de feras do rock’n roll como David Gilmour, Roger Waters, Syd Barrett, Richard Wright e Nick Mason? Lorelei McBroom conta para você nesta entrevista exclusiva com o Contorno de BH, em parceria com a assessoria de imprensa do evento:

Lorelei, como foi dividir o palco com o Pink Floyd durante uma turnê inteira?
INCRÍVEL! Poder ouvir o som da guitarra de David Gilmour  foi fantástico. Todos nos divertidos muito.

Você pode contar como os rapazes eram atrás do palco?
Muito simpáticos. Sem egos.  Nick Mason foi o mais tranquilo, mas todos eram gentis. Nick é engraçado. Ele tem um grande senso de humor.

Você acredita ter engrandecido seu trabalho após atuar ao lado deles?
Sem dúvidas! Me deu muita credibilidade.

O que o público não sabe a respeito do Pink Floyd? E de você?
É difícil dizer porque existem vários livros sobre a carreira da banda, inclusive um de autoria de Nick. A maioria das pessoas não sabiam quem eu era antes do Pink Floyd. Havia feito poucos shows e em lugares pequenos. Quando me apresentei com eles, não me senti fora do lugar. Eu me senti em casa naquele grande palco. O Pink Floyd me levou a apresentar com outras bandas, como os Rolling Stones por exemplo.

Qual o momento mais marcante da sua carreira?
A alegria dos fãs russos.

Lorelei McBroom vem ao Brasil pela primeira vez e está encantada com nosso país. Ela dz que se tiver outra oportunidade, se apresentaria com o Pink Floyd novamente. (Foto: Augistina V Cornejo).
Lorelei McBroom vem ao Brasil pela primeira vez e está encantada com nosso país. Ela dz que se tiver outra oportunidade, se apresentaria com o Pink Floyd novamente. (Foto: Augistina V Cornejo).

Já teve outras experiências no Brasil? E em Belo Horizonte?
Ainda não havia vindo para o Brasil antes. Até agora, tudo que tenho visto são árvores, montes e um pouco das avenidas de São Paulo. Eu quero voltar por vários outros anos.

Já conhece o trabalho do Ummagumma?
Estava procurando uma maneira de chegar ao Brasil e os encontrei no facebook. Assisti alguns vídeos e vi um belo show. Perguntei se poderia me juntar a eles e eles disseram sim.

Se o Pink Floyd retornasse hoje, você se apresentaria junto a banda?
Se me pedissem, certamente sim.

O que o público de Belo Horizonte pode esperar de sua apresentação?
Grades canções do Pink Floyd.

Como você se define como artista?
Eu gosto de diversos estilos de música e aprecio grandes canções. Eu tenho o folk, rock, blues e jazz como meu estilo.

Fantástico, não?! Além de atuar como backing vocal de luxo junto ao Ummagumma nas apresentações na capital mineira, Lorelei assumirá o solo dos vocais femininos em “Mother” e na catártica “The Great Gig in The Sky”. “Serão duas noites com sets ligeiramente distintos e com essa participação de peso, que aumenta nossa responsabilidade ao mesmo tempo em que nos deixa tremendamente lisonjeados pela confiança de Lorelei, que já cantou com o Pink Floyd e outros grandes nomes do rock, em nosso trabalho. Lorelei vem para somar a essa turnê comemorativa”, explica Isabela Morais, backing vocal, produtora e uma das fundadoras do grupo.

Os ingressos do evento já estão a venda e podem ser retirados na bilheteira do Sesc Palladium ou adquiridos pelo site Ingresso.com.

Ficha técnica
Bruno Morais – vocal, guitarra, violões, diretor musical
Eduardo Botrel – guitarra, vocal, violões
Marcos Alexandre Wayne – baixo, vocais
Otávio Pieve – bateria
Alesandro Brito – percussão
Stéfanny Rezende Botrel – teclados
Felipe Batiston – teclados e vocal
Ivan Souza Pereira – sax
Oswaldo Duarte – violoncelo e vocais
Ber – backing vocal
Elisangela Theophilo – backing vocal
Helen Mariah – backing vocal
Isabela Morais – backing vocal

Turnê Where We Start
O fiel e exigente público do Ummagumma em Belo Horizonte sabe que pode mais uma vez esperar por um espetáculo grandioso, à altura da atmosfera sonora e visual que marca o universo artístico concebido pelo Pink Floyd. A turnê “Where We Start” chega bastante madura a Belo Horizonte, depois de várias apresentações durante o primeiro semestre: Recife, Natal, São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Novo Hamburgo e Pelotas. Um dos diferenciais em relação ao show apresentado no Chevrolet Hall no ano passado será a estrutura com três cenários distintos.

Já se vão 14 anos da estreia do Ummagumma, realizada sob forte impacto da primeira vinda de um floydiano ao Brasil, com a turnê de In The Flesh (2002), de Roger Waters. “Where We Start”, dessa forma, comemora a trajetória do grupo mineiro e reconta a história da épica banda inglesa e seus integrantes – outro marco temporal importante refere-se a vinda de David Gilmour ao país em 2015 com “Ratlle That Lock”. Além do destaque para os álbuns mais populares, como “Dark Side Of The Moon”, “The Wall” e “Wish You Were Here”, o repertório contempla diversas fases da banda – desde o início, com Syd Barrett e a fase pré-Dark Side, já com Gilmour, até os álbuns mais recentes, como “The Endless River” (2014).

Sobre o Ummagumma – The Brazilian Pink Floyd
O Ummagumma é uma banda de Três Pontas, sul de Minas Gerais. O projeto foi idealizado por Bruno Morais, tendo como importante característica a união familiar – pai, mãe e irmã são produtores e fundadores, sendo estas também baking vocals. Desde o início a proposta da banda era apresentar não apenas a parte musical, mas toda a atmosfera de uma espetáculo floydiano – no primeiro show, em Três Pontas, a banda já trazia iluminação, cenário, telão, efeitos audiovisuais e pirotécnicos. Junto à fidelidade da execução sonora, esse desafio grandioso pode estar na gênese do sucesso do Ummagumma, que conta com público de milhares de pessoas a cada show em diferentes partes do país. Em 14 anos de estrada, a banda já se apresentou em importantes casas e teatro do país, como o extinto Canecão, Teatro Rival e Citibank Hall, no Rio de Janeiro, Teatro Bradesco, em São Paulo, Theatro Guarany, em Pelotas, Teatro Feevale, em Novo Hamburgo, e Minascentro, Palácio das Artes, Teatro Bradesco e Chevrolet Hall, em Belo Horizonte.

Logo no início o intuito era escolher um nome para o grupo que trouxesse uma sonoridade interessante e atrativa, além de remeter ao Pink Floyd. Daí surgiu o Ummagumma, título de um dos álbuns mais experimentais do grupo inglês. Em 2012, com 10 anos de sucesso do projeto, mudaram o nome para The Brazilian Pink Floyd. Entretanto, o reconhecimento da alcunha original era tal que tiverem que mantê-lo em destaque: Ummagumma – The Brazilian Pink Floyd. O grupo ainda carrega a forte vocação musical de sua terra natal, Três Pontas, com seus integrantes se desdobrando em diferentes vertentes sonoras e empreitadas – em 2010, os irmãos Bruno e Isabela Morais integraram as gravações do disco e turnê “…E a Gente Sonhando”, com Milton Nascimento.

Lorelei McBroom
Nascida em Los Angeles (EUA), Lorelei McBroom recebeu ainda na formação familiar boas doses de blues, rock, folk, jazz e soul. Sua primeira exposição foi logo com duas turnês como backing vocal do Pink Floyd, no final dos anos 80, o que abriu as portas para na sequência viajar com os Rollings Stones, com direito a dueto com Mick Jagger em “Gimme Shelter”. O talento como cantora – também compositora e arranjadora – a levou a realizar trabalhos com Lou Reed e Phillip Bailey (Earth Wind and Fire), dentre outros. As turnês com grandes nomes da música mundial também estão registradas em inúmeros especiais e programas de TV e até cinema, como as filmagens de “Summer of Sam” (de Spike Lee), junto aos Rollings Stones, e “The Best Man”, com Malcolm Lee. Em 2011 Lorelei integrou turnês do The Australian Pink Floyd, contando igualmente com sua irmã Durga – juntas elas desenvolvem projetos musicais mundo a fora e auxiliam um programa social gerido pela família, o For Our Children’s Sake Foundation.

Ícaro Ambrósio
Ícaro Ambrósio é jornalista e editor-chefe do site O Contorno de BH.

One thought on “UMMAGUMMA SE APRESENTA AO LADO DE EX-BACKING VOCAL DO PINK FLOYD

Deixe uma resposta

Top