Você está aqui
Início > EM BH > Dentista fala sobre o mercado da odontologia em BH

Dentista fala sobre o mercado da odontologia em BH

Uma das profissões mais rentáveis do Brasil é a odontologia. Tanto que existe até uma data comemorativa para celebrar o ofício destes profissionais. Para quem ainda não sabe, no dia 25 de outubro é oficialmente comemorado o dia nacional do dentista.

O antes e o depois do clareamento de um clareamento dental (foto: divulgação).
O antes e o depois do clareamento de um clareamento dental (foto: divulgação).

A odontologia traz com ela um leque de atuação bastante intenso que vai desde a prevenção de doenças bucais ao tratamento estético. Quem acompanha o trabalho de um dentista consegue observar como é possível o tratamento mudar uma pessoa. No caso da ortodontia, por exemplo, a estética fácil é completamente modificada após um procedimento. prova disso sãos as famosas fotos de antes e depois.

Como consequência dessa demanda de pessoas que querem estar em dia com a saúde bucal e com o rosto mais simpático, o mercado para a odontologia tem crescido muito no Brasil. Belo Horizonte acompanha o ritmo e cresce junto. Para ficarmos mais por dentro de como está a situação deste ofício, o nosso repórter Ícaro Ambrósio bateu um papo com o Dentista Paulo Coelho de Andrade. Vejam só!

Ícaro Ambrósio Pergunta para Paulo Coelho de Andrade:

Como está o mercado da odontologia em Belo Horizonte? O que os pacientes buscam?
A odontologia passou por uma crise séria de mercado. Há uns 20 anos, era uma profissão na qual se ganhava muito dinheiro, o que influenciou os alunos e as famílias a se motivarem para seguir esta carreira.  Com a recessão econômica atual, o conseqüente aumento da competitividade entre os profissionais, o declínio da doença cárie, a abertura desenfreada dos cursos de odontologia e a imposição dos convênios odontológicos, o mercado ficou saturado. Há uma oferta muito grande de dentistas em Belo Horizonte e região metropolitana o que aumenta ainda mais a competitividade. Há uma tendência dos concluintes do curso, buscarem por empregos públicos, tendo-se em vista os baixos salários no meio privado e a dificuldade de ingresso no mercado como autônomo nos consultórios odontológicos. Os pacientes em sua maioria, buscam por tratamentos estéticos.

Dr. Paulo Coelho Andrade esclareceu e comentou algumas questões numa entrevista exclusiva para o Contorno de BH. (foto: divulgação).
Dr. Paulo Coelho Andrade esclareceu e comentou algumas questões numa entrevista exclusiva para o Contorno de BH. (foto: divulgação).

Qual o principal problema de saúde bucal dos belo-horizontinos?
Não apenas em Belo Horizonte, mas na maioria das cidades brasileiras, a cárie ainda é a doença com maior prevalência na população.

Qual a especialidade da odontologia é mais rentável?
Ortodontia e Implantodontia

Quais são os procedimentos básicos para uma saúde bucal?
Escovação dos dentes 4 vezes  ao dia, uso do fio dental  diariamente, acesso à água fluoretada, alimentação saudável e balanceada com baixa ingestão de carboidratos, além de visitas regulares ao dentista .

Segundo o Conselho Federal de Odontologia (CFO), são 203 faculdades de odontologia no país. Você acha este número natural?
O número de faculdades  que ofertam o curso de odontologia é enorme e esse é um dos fatores que contribuem para a saturação do mercado de trabalho na área.

Hoje, no Brasil são mais de 250 mil dentistas credenciados no CFO e as estimativas ainda indica que outros 12 mil formam anualmente. Este mercado já não está muito saturado?
Apesar da saturação da área, estudos apontam a odontologia como sendo a segunda profissão mais rentável, perdendo apenas para a medicina. Isso pode explicar esse aumento no número de novos dentistas no mercado. O que se observa é uma tendência de concentração dos profissionais nos grandes centros urbanos e região metropolitana o que aumenta ainda mais a competitividade no ramo. Cidades interioranas e outras regiões como a Norte, ainda possuem campo para atuação.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o Brasil entrou para um grupo de países com baixo índice de cáries. Qual o motivo para essa conquista, em sua opinião?
Este fato está relacionado principalmente com o maior acesso da população ao serviço público odontológico, oferecido pelo projeto Brasil Sorridente desde 2003. Hoje já atende a maioria dos municípios do país, trabalhando a parte de educação e prevenção de doenças bem como disponibilizando atendimento odontológico à população em parceria com as ESFs (Estratégia de Saúde da Família). A grande quantidade de profissionais atuantes ajuda a melhorar a saúde bucal.

Como os profissionais estrangeiros enxergam os profissionais brasileiros?
Os dentistas brasileiros são reconhecidos mundialmente pela excelência  do tratamento estético oferecido e também pelos menores custos.

Os serviços odontológicos no exterior são bem mais caros do que no Brasil. Prova disso foi o período da copa do Mundo de 2014, que muitos estrangeiros fizeram tratamentos aqui. O que você acha dessa diferença? Por que ela existe?
O dentista brasileiro está entre os três melhores do mundo, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU). Os brasileiros são bastante exigentes e preocupados com bons tratamentos e com a aparência do sorriso. Por isso, somos referência em procedimentos como facetas de porcelana e clareamento dental, tratamentos relacionados à odontologia estética. A preocupação com a qualidade e a busca constante por parte dos profissionais por inovações tecnológicas que aprimorem o serviço prestado  e o investimento em cursos de atualização e em especializações, agradam o público tanto nacional quanto os turistas estrangeiros. Outro ponto chave, são os preços que principalmente devido ao câmbio, na maior parte das vezes, favorece o paciente.

Se fossemos comparar o mercado da odontologia nas cidades brasileiras, como você avalia a colocação de Belo Horizonte?
Belo Horizonte comparada à outras cidades brasileiras, possui público com poder aquisitivo de médio à alto que permite arcar com os custos do tratamento odontológico. Para quem já está estabelecido na profissão há algum tempo, isso constitui uma vantagem.  Entretanto, o inchaço dos centros urbanos com oferta crescente de profissionais do ramo, dificulta o ingresso dos novos dentistas no mercado de trabalho.

Ícaro Ambrósio
Ícaro Ambrósio é jornalista e editor-chefe do site O Contorno de BH.

Deixe uma resposta

Top