Você está aqui
Início > EM BH > Mulheres mineiras realizam ato contra o feminicídio e todos os tipos de violência

Mulheres mineiras realizam ato contra o feminicídio e todos os tipos de violência

Neste momento, uma mulher está sendo vitima de violência e feminicídio (assassinato em função do gênero) no Brasil. É o que indicam as estatísticas sobre a violência contra a mulher brasileira, conforme registros de órgãos como o Relógios da Violência, do Instituto Maria da Penha. Segundo esta fonte, a cada 7,2 segundos uma mulher é vítima de violência física.

Este quadro também fica claro para qualquer pessoa que acompanha a situação da mulher no país por meio de outros canais. Os registros publicados, por exemplo, pela imprensa, estão repletos de relatos sobre assassinatos, estupros e outros horrores vividos por mulheres de todas as idades, inclusive crianças.

Inconformado com esta situação, um grupo de mulheres de Belo Horizonte decidiu ir às ruas para protestar. Elas fazem parte do Movimento Quem Ama Não Mata, que vai realizar sexta-feira, dia 9 de novembro, a partir das 18h, na Praça Afonso Arinos, Centro da capital mineira, um ato político e cultural feminista e laico para denunciar e buscar caminhos para mudar esta situação.

A proposta é reunir o maior número possível de entidades e grupos representativos da luta pelos direitos da mulher, incluindo estudantes, sindicatos, associações de classe, dentre outros, e do público-alvo em geral. O local escolhido foi pela simbologia política que aquele espaço representa, bem como pela sua localização e facilidade de acesso. A Praça Afonso Arinos é ponto de encontro de manifestações políticas e culturais desde a época da ditadura militar. Já confirmaram presença, entre outras, representantes da Fetaemg, Associação das Prostitutas, UFMG, Rede de Mulheres Negras, Rede Afro LGBT e Marcha das Vadias

Foto: reprodução.
Foto: reprodução.
Ícaro Ambrósio
Ícaro Ambrósio é jornalista e editor-chefe do site O Contorno de BH.

Deixe uma resposta

Top