Você está aqui
Início > EM MINAS > De ruína a museu: a história do Santuário do Caraça

De ruína a museu: a história do Santuário do Caraça

O Santuário do Caraça, que foi eleito uma das 7 maravilhas da Estrada Real, funciona hoje como linda Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) e serve de lar para milhares de espécies animais e vegetais viverem preservados e em segurança, além de ser refúgio para os turistas que buscam conectar-se com a natureza e com a fé. O Santuário, que fica localizado entre os municípios de Catas Altas e Santa Bárbara, em Minas Gerais, começou como um pequeno oratório para peregrinos que buscavam um lugar seguro e tranquilo para fortalecer sua espiritualidade e seu relacionamento com o Divino.

O local foi fundado em 1774 pelo Irmão Lourenço de Nossa Senhora, um português que veio para o Brasil e resolveu dedicar-se à fé, afastando-se de tudo, e encontrando na região central do Estado o lugar que seria sua morada. Quando faleceu, o irmão Lourenço doou, em testamento, toda a sua obra para a Igreja, com a condição de que ali fosse construído um colégio para meninos e um centro missionário. Obedecendo aos seus desejos, em julho de 1820 foi inaugurado o Colégio do Caraça, recebendo seus quatro primeiros alunos.

Foto: divulgação/Grupo Balo.
Foto: divulgação/Grupo Balo.

Em 1968 no Caraça funcionava apenas o Seminário, até que um terrível e acidental incêndio destruiu salas de aula, o museu, a biblioteca, os salões de estudo e os dormitórios, transformando em cinzas boa parte da história do local. Quinze mil volumes da biblioteca, os vitrais e outros itens foram salvos, pelos alunos e funcionários, e garantiram a preservação de sua história. Após o incêndio, com os esforços da Igreja e da sociedade, o lugar foi restaurado, mas não mais para ser colégio e seminário, e sim para ser um santuário de preservação e conscientização ambiental.

Hoje, o Caraça abriga uma confortável pousada; um restaurante com a deliciosa gastronomia da região; um museu que conta toda a sua história, desde a fundação, com fotos, documentos e até o relato original de D. Pedro II; uma biblioteca com livros raros e antigos. Além de celebrações diárias de missas, na linda igreja neogótica de Nossa Senhora Mãe dos Homens. Tudo isso para proporcionar aos visitantes uma experiência mágica e impossível de explicar com palavras.

O Santuário do Caraça funciona todos os dias da semana, das 8h às 17h para visitação e 24 horas para hospedagens previamente agendadas. A taxa de entrada para visitação custa, a partir de R$ 12,00. A diária da hospedagem, com pensão completa, varia entre R$ 143,00 e R$ 220,00, por pessoa, dependendo da acomodação. Para mais informações e reservas acesse o site.

Ícaro Ambrósio
Ícaro Ambrósio é jornalista e editor-chefe do site O Contorno de BH.

Deixe uma resposta

Top