Você está aqui
Início > EM BH > Filarmônica comemora 70 anos de pianista brasileiro

Filarmônica comemora 70 anos de pianista brasileiro

Nos dias 6 e 7 de dezembro, às 20h30, na Sala Minas Gerais, a Filarmônica de Minas Gerais comemora os 70 anos de um dos maiores artistas brasileiros, o pianista Arnaldo Cohen, que interpretará o celebrado Concerto para piano nº 3 em dó menor, op. 37, de Beethoven. Nos duzentos anos de nascimento do compositor francês Charles Gounod, a Orquestra interpreta pela primeira vez a Sinfonia nº 1 e a sequência de danças de sua ópera mais famosa, Fausto. A regência é do maestro Fabio Mechetti. Celebrando também os dez anos da Filarmônica, o pianista Arnaldo Cohen e a Orquestra se apresentam no Theatro Municipal do Rio de Janeiro no dia seguinte, 8 de dezembro.

Arnaldo já se apresentou na Sala Minas uma outra vz (foto: ©netun lima /Divulgação).
Arnaldo já se apresentou na Sala Minas uma outra vz (foto: ©netun lima /Divulgação).

Na série de palestras sobre obras, compositores e solistas, promovidas pela Filarmônica de Minas Gerais antes das apresentações, entre 19h30 e 20h, o público poderá assistir aos comentários do percussionista da Filarmônica de Minas Gerais e curador dos Concertos Comentados, Werner Silveira. As palestras são gravadas em áudio e ficam disponíveis no site da Orquestra.

Graduado com grau máximo em piano e violino pela Escola de Música da UFRJ, Arnaldo Cohen conquistou por unanimidade o 1º Prêmio no Concurso Internacional Busoni, na Itália. No Brasil, estudou com Jacques Klein e, em Viena, com Bruno Seidlhofer e Dieter Weber. Em sua carreira Arnaldo Cohen apresentou-se em mais de quatro mil concertos como solista das mais importantes orquestras do mundo. Após mais de 20 anos em Londres, onde lecionou na Royal Academy of Music e no Royal Northern College of Music, transferiu-se para os Estados Unidos em 2004, tornando-se o primeiro brasileiro a assumir uma cátedra vitalícia na Escola de Música da Universidade de Indiana. Além de recitalista e concertista, transita também pelos domínios da música de câmara, tendo integrado durante cinco anos o prestigiado Trio Amadeus. Conhecido por sua técnica clara e exemplar, interpretação equilibrada e imaginativa, Cohen também gravou discos premiados e muito bem recebidos pela crítica, de compositores como Liszt, Brahms, Rachmaninov e uma abrangente coletânea de música brasileira para o selo sueco BIS.

Ícaro Ambrósio
Ícaro Ambrósio é jornalista e editor-chefe do site O Contorno de BH.

Deixe uma resposta

Top