Você está aqui
Início > BANCO DE IDEIAS > Funcionários que decidem sair da empresa, mas que deixam as “portas abertas”

Funcionários que decidem sair da empresa, mas que deixam as “portas abertas”

Foto: reprodução.
Foto: reprodução.

A decisão de deixar uma empresa nem sempre vem de forma fácil. Muitas vezes por questões salariais e de reconhecimento, problemas de relacionamento e conflito de interesses representam alguns dos estopins que podem levar um funcionário a esta decisão. Porém, “fechar as portas” com essa empresa projeta uma situação grosseira, e barra possíveis negócios que poderão vir posteriormente.

No entanto, estando um funcionário decidido a demitir-se de seu atual emprego, é necessário se ater a uma série de dicas que podem ser adotadas neste processo, que descomplicará todo o embargo da ação. A diretora e consultora da empresa Leaders-HR Consultantes, Astrid Vieira, destaca algumas ações que são indicadas em um desligamento de uma empresa: “O funcionário que procura sair de uma empresa, deve ter a premissa de calcular meticulosamente sua saída; isto é, não deixando pendências com seus colegas de trabalho e tampouco com seus deveres enquanto funcionário”, afirma.

O desligamento de uma empresa não deve ser caracterizado por sentimentos de descontentamento e mal-estar entre os funcionários e a chefia. Por este motivo, o chefe da empresa deve ser o primeiro a saber da decisão do funcionário em destituir de seu cargo: “Passar a informação para os colegas, antes de apresentá-las a seu superior, abre uma janela de comentários paralelos dentro da empresa, chegando ao conhecimento da chefia de forma completamente distorcida”, pondera Astrid.

Nesse momento, a melhor opção é estabelecer um diálogo aberto e esclarecido com a chefia, pontuando as razões pelas quais a saída se fez necessária, sem provocar constrangimento na empresa. Astrid Vieira ainda comenta, que a melhor forma de deixar as portas abertas é a humildade: “Demonstrar afeto e agradecimento aos superiores demonstra um bom caráter. Ao agradecer pelo tempo servido e explicitando a aprendizagem que ali foi adquirida, não haverá motivos para uma demissão abrupta”.

Apesar de todas as possíveis situações-chave para que a decisão do desligamento em uma empresa seja tomada, é de suma importância manter-se atento às conexões que o local de trabalho é capaz de proporcionar. O networking age dessa forma, por isso é tão importante manter boas relações e exímias impressões em sua passagem por uma empresa.

Ícaro Ambrósio
Ícaro Ambrósio é jornalista e editor-chefe do site O Contorno de BH.

Deixe uma resposta

Top