Você está aqui
Início > BANCO DE IDEIAS > Cirurgia plástica para além da beleza

Cirurgia plástica para além da beleza

Os procedimentos da cirurgia plástica não devem ser associados somente à vaidade. A saúde também é beneficiada com diversos tratamentos específicos. As soluções para alívio da tensão diária, eliminarem a enxaqueca, melhorarem a respiração e elevarem a autoestima têm sido encontradas no cirurgião plástico.

Foto: Pixabay.
Foto: Pixabay.

A remodelação do nariz, por exemplo, é uma das cirurgias plásticas mais procuradas no Brasil, sendo que, em 2015, a rinoplastia ficou em 4º lugar no ranking nacional das demandas. A princípio, a partir desse procedimento, busca-se um nariz em harmonia com os outros elementos da face e que também seja totalmente funcional. O processo possibilita a melhora na aparência e também na função respiratória a médio e longo prazo, assim como influenciando positivamente na qualidade do sono.

As pessoas que sofrem com enxaqueca, 10ª doença mais incapacitante para as atividades diárias, acometendo cerca de 15% da população mundial, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), também encontram benefícios na atuação do cirurgião plástico. Atualmente, são aproximadamente mais de 30 milhões de brasileiros com o problema e, não faltam motivos para o desencadeamento de crises: estresse, obesidade, sono inadequado, jejum, alguns alimentos, cheiros fortes e tempo seco, entre outros. A situação é tratada com medicações, mas nem sempre, as pessoas respondem bem, devido aos efeitos colaterais. O tratamento cirúrgico de enxaqueca ganha espaço como alternativa para retomar o cotidiano normalmente, diminuindo e/ou eliminando o uso de medicamentos.

A cirurgia foi criada e desenvolvida pelo cirurgião plástico Bahman Guyuron, em Cleveland (EUA), em 2000. O médico identificou vários pontos na face que funcionariam como gatilhos para a dor de cabeça, principalmente, na região da testa (frontal), lateral da cabeça (temporal), nuca (occipital) e atrás dos olhos e nariz (cefaleia rinogênica). Os pesquisadores desenvolveram técnicas cirúrgicas de descompressão nervosa para cada ponto, constituindo a base do atual tratamento cirúrgico da enxaqueca.

Um outro importante procedimento na cirurgia plástica é a reconstrução mamária. Sabe-se que até 20% das mulheres são diagnosticas com câncer que pode deixar alterações na mama, decorrentes da mastectomia. A reconstrução mamária pode ser feita imediatamente após o procedimento (no tempo cirúrgico) ou tardiamente, tanto com prótese de silicone, expansores e retalhos de pele, músculos, gordura e lipoenxertia. A presença de um cirurgião plástico é fundamental, desde antes da mastectomia, para que seja planejada a reconstrução mais precoce possível e da melhor forma, conforme cada caso.

O tempo de reconstrução varia já que outras cirurgias são realizadas, entre três e quatro meses, sendo que, o processo total de reconstrução leva de 8 a 12 meses. Qualquer pessoa com câncer de mama tem o direito à reconstrução mamária e da forma mais precoce possível. O câncer de mama ainda é prevalente no Brasil e, na maioria das vezes, tem cura, desde que diagnosticado precocemente. A reconstrução é um direito e acessível, tanto na rede particular, quanto no Sistema Único de Saúde (SUS).

É fundamental consultar sempre um cirurgião plástico credenciado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica para saber o que pode ser feito após um preenchimento, sendo importante refletir sobre o propósito e esclarecer as dúvidas, fazer exames pré-operatórios e identificar um hospital qualificado para o procedimento.

Ícaro Ambrósio
Ícaro Ambrósio é jornalista e editor-chefe do site O Contorno de BH.

Deixe uma resposta

Top