Você está aqui
Início > BANCO DE IDEIAS > Como evitar que o inverno agrida a nossa pele

Como evitar que o inverno agrida a nossa pele

Tendo como principais características as baixas temperaturas e umidade do ar, o inverno deste ano promete não dar trégua. Apesar de o país já marcar um clima mais gelado antes mesmo da estação mais fria do ano ter começado, o inverno inicia, oficialmente, no próximo dia 21, sexta-feira. Segundo a dermatologista Ana Rosa Magaldi, é preciso redobrar os cuidados com a pele nesta época do ano, pois ela sofre diretamente com a mudança de estação.

“Neste período as pessoas costumam tomar banhos extremamente quentes, o que remove a oleosidade natural e prejudica a retenção da umidade da pele. Associado as baixas temperaturas e umidade do ar, isso faz com que a derme fique com um aspecto ainda mais seco e até mesmo craquelado”, conta Ana. Ela, que também é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD) e da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), explica que a pele xerótica (seca) pode desenvolver coceira, o que favorece a penetração de bactérias e fungos e pode gerar uma infecção.

Foto: reprodução/Google Imagens.
Foto: reprodução/Google Imagens.

Uma boa opção para quem deseja manter a pele bonita e hidratada durante o inverno, é adotar o uso frequente de um hidratante. Para saber qual é o indicado para o seu tipo de pele, é necessário passar por uma consulta com dermatologista, pois somente o profissional saberá analisar qual o tipo de cosmético (creme, gel ou spray) é mais indicado e quantas vezes no dia será necessária a reposição.

De acordo com Ana Rosa, é preciso deixar claro que a hidratação da pele não é feita somente através de produtos hidratantes. A ingestão de líquidos exerce uma grande influência também. “As pessoas costumam associar a hidratação da pele apenas aos cosméticos, compram diversos tipos e marcas, mas esquecem que a hidratação do nosso corpo vem de dentro para fora também. É fundamental beber bastante água nesta época, assim como em todo o ano”, aconselha.

Ainda é válido ressaltar que apesar do sol do inverno ser mais fraco, ele continua sendo prejudicial a nossa pele, portanto, é de extrema importância manter o uso de protetor solar nesta época. “Há uma falsa sensação de que a pele não corre os mesmos riscos do verão. Mas isso não é verdade. Os raios UVA continuam agindo com a mesma intensidade”, alerta Magaldi.

Alguns problemas de pele ficam ainda mais suscetíveis a surgirem neste período do ano. A dermatite seborreica ou atópica são os exemplos mais comuns. Esses tipos de dermatites são caracterizados por formarem inflamações na pele que causam principalmente descamação, vermelhidão, erupções e crostas. Elas podem aparecer por uma série de motivos, sendo que baixas temperatura e umidade são os elos comuns.

Outro problema de pele muito comum nesta época é a xerose cutânea. Também conhecida como ressecamento da pele, a xerose nada mais é do que a pele seca causada pela falta de água. “A qualquer manifestação de problema de pele, procure um médico dermatologista. Quanto antes ocorrer o diagnóstico, mais rápido e eficaz será o tratamento”, aponta Ana.

Ícaro Ambrósio
Ícaro Ambrósio é jornalista e editor-chefe do site O Contorno de BH.

Deixe uma resposta

Top