Você está aqui
Início > EM BH > Comércio está aquecido por novos de empregos e menos inadimplentes

Comércio está aquecido por novos de empregos e menos inadimplentes

O varejo  de Belo Horizonte registou mais um resultado positivo em 2019. Em maio, as vendas tiveram um aumento de 2,12% em relação ao mesmo mês do ano anterior (Mai.19/Mai.18). Essa é a terceira alta consecutiva nessa base de comparação, é reflexo da redução do desemprego de 1,4 p.p (1º Tri.19/1º Tri.18 – IBGE), da inflação no período em 0,27 p.p (IPCA Mai.19 em 0,13%/Mai.18 em 0,4% – IBGE) e da queda da inadimplência em 0,29% (Mai.19/Mai.18 – CDL/BH).

Foto: reprodução.
Foto: reprodução.

“Com o retorno ao mercado de trabalho e inflação controlada, os consumidores estão voltando a ter renda disponível para consumir e isso vem influenciando positivamente o desempenho do varejo”, explica o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), Marcelo de Souza e Silva. “Além disso, com a redução da inadimplência os moradores da capital tem acesso novamente ao crédito, o que é muito importante para o aquecimento do comércio”, acrescenta.

Nesta base de comparação (Mai.19/Mai.18) o segmento que apresentou o melhor desempenho foi o de vestuário e calçados com 2,55% de crescimento. Esse resultado pode ser explicado pelas vendas dos presentes do Dia das Mães, pois os itens destes setores seriam os mais procurados para presentear as mães, de acordo com pesquisa realizada pela CDL/BH. Os demais segmentos que registraram crescimento foram: drogarias e cosméticos (+2,36%); supermercados (+2,36%); móveis e eletrodomésticos (+1,91%); artigos diversos que incluem acessórios em couro, brinquedos, óticas, caça, pesca, material esportivo, material fotográfico, computadores e periféricos e artefatos de borracha (+1,59%); veículos e peças (+1,46%); material elétrico e construção (+0,92%) e papelaria e livrarias (+0,51%). O único setor que registrou queda foi o de informática, com redução de 0,61%.

Dia das mães
O índice real de vendas apresentou crescimento de 1,42% em maio na comparação com o mês anterior (Mai.19/Abr.19). Essa elevação pode ser explicada pelas vendas dos presentes do Dia das Mães e foi a segunda maior já registrada nesta base de comparação nos últimos seis anos. “As datas comemorativas são sempre uma boa oportunidade para o comércio ter as vendas impulsionadas, e o Dia das Mães, por ser uma data com forte apelo emocional, a maioria dos consumidores sempre buscam presentear”, explica Souza e Silva. Nesta base de comparação a maioria dos setores tiveram crescimento, comportando-se da seguinte maneira: vestuário e calçados (+2,85%); drogarias e cosméticos (+2,6%); veículos e peças (+1,58%); supermercados (+1,47%); artigos diversos (+0,75%); informática (+0,55%) e móveis e eletrodomésticos (+0,15%). Já os setores de material elétrico e construção (-1,49%) e papelaria e livrarias (-0,8%) apresentaram queda.

Crescimento produtivo em 2019
As vendas no acumulado do ano (Jan.19-Mai.19/Jan.18-Mai.18) tiveram crescimento de 0,82%. Em 2018, nesta mesma base de comparação, a alta foi de 2,91%. “Esse resultado inferior é reflexo da desaceleração da economia no primeiro trimestre de 2019. O ambiente econômico do Brasil, apesar de ter apresentado estabilização de alguns indicadores, ainda não é o ideal para fomentar um ritmo maior de crescimento das vendas do comércio da capital”, comenta o presidente da CDL/BH.

Nesta base de comparação os segmentos que apresentaram crescimento foram: material elétrico e construção (+1,47%); supermercados (+1,36%); papelaria e livrarias (+1,34%); artigos diversos (+1,22%); veículos e peças (+1,03%); vestuário e calçados (+0,68%); móveis e eletrodomésticos (+0,28%) e drogarias e cosméticos (+0,28%). Apenas o setor de informática não apresentou resultado positivo, com queda de 0,48% nas vendas.

Ícaro Ambrósio
Ícaro Ambrósio é jornalista e editor-chefe do site O Contorno de BH.

Deixe uma resposta

Top