Você está aqui
Início > EM BH > Casa Kubitschek celebra aniversário com programação especial

Casa Kubitschek celebra aniversário com programação especial

A casa Casa Kubitschek fica na Av. Otacílio Negrão de Lima, 4188, Bandeirantes (foto: divulgação).
A casa Casa Kubitschek fica na Av. Otacílio Negrão de Lima, 4188, Bandeirantes (foto: divulgação).

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, celebra em setembro o sexto aniversário do Museu Casa Kubitschek, uma das obras-primas do Conjunto Moderno da Pampulha, reconhecido como patrimônio cultural da humanidade pela Unesco. Para marcar esta data, o espaço preparou uma programação especial, com espetáculo de contação de histórias, visita guiada aos jardins, passeio pela Pampulha, além das tradicionais exposições que levam o público a conhecer a Pampulha e o modernismo do início do século XX. Toda a programação é gratuita.

O Museu Casa Kubitschek surgiu com a ideia de ampliar a experiência do visitante em relação aos modos de habitar dos anos 1940, 1950 e 1960, período singular para consolidação do pensamento modernista em Minas Gerais, e suas manifestações na arquitetura, no urbanismo, no paisagismo e nas artes. A Casa apresenta as várias características que tornam a Pampulha singular para o Brasil, a começar pelos jardins do paisagista Roberto Burle Marx (1909-1994), que acabam de passar por um processo de restauração.

Os jardins ficam na frente e nos fundos da casa projetada em 1943 por Oscar Niemeyer (1907-2012) para ser a residência de fim de semana para o então prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek (1902-1976). Com telhado em forma de asa de borboleta e planos inclinados, o Museu Casa Kubitschek configura tipologia característica da arquitetura brasileira do modernismo. A edificação é tombada pelas instâncias do patrimônio municipal, estadual e federal.

O Museu tem duas exposições fixas: “Casa Kubitschek: Uma Invenção Modernista do Morar” e “Pampulha: Território da Modernidade”. As mostras pretendem levar o visitante a experimentar aquele movimento cultural que deixou marcas profundas no modo de ser local. Como bem definiu o urbanista e arquiteto Lúcio Costa (1902-1998), um dos precursores daquele movimento, “ser moderno é ser prospectivo e atual”. É esta experiência que o lugar oferece por meio de espaços arquitetônicos e afetivos, racionalizados e vividos, que se desdobram e se somam no caminho percorrido que vai da orla da Lagoa da Pampulha, passando pelo singular jardim frontal e seguindo pelos espaços sociais e íntimos.

Letícia Dias, diretora de Museus da Fundação Municipal de Cultura, destaca que, mesmo jovem, o Museu Casa Kubitschek tem conseguido ampliar sua visibilidade na cidade. “O público escolar já criou um vínculo forte com o Museu. Em 2019 passamos a atender também os estudantes da Educação de Jovens e Adultos, que fazem visitas noturnas aos jardins e às exposições da instituição”, explica Letícia. Outro segmento que estabeleceu uma relação afetiva com o Museu, de acordo com a diretora, foi o grupo de bordadeiras. “Atualmente reunimos mais de 80 bordadeiras que estão bordando as aves da Pampulha”, completa Letícia Dias.

Programação Especial – Museu Casa Kubitschek 6 Anos

DIA 14 DE SETEMBRO, ÀS 11H

  • Contos de Pássaros e Outros Seres Viajantes

Espetáculo lítero-musical no qual os artistas Aline Cântia e Chicó do Céu apresentam poemas, narrativas e canções de diferentes lugares em que os protagonistas são eles: os pássaros.

DIA 19 DE SETEMBRO, ÀS 14H

  • Projeto Caminhos Arquitetônicos

As caminhadas culturais pela Pampulha oferecem uma experiência de imersão na paisagem e abordam questões relacionadas ao patrimônio, natureza, história, arte e dinâmica urbana desse patrimônio da humanidade. Nesta edição, a caminhada começará no Museu Casa Kubitschek e terminará na Igreja de São Francisco de Assis. O projeto “Caminhos Arquitetônicos” é uma ação integrada entre o Museu Casa Kubitschek, a Casa do Baile e o Museu de Arte da Pampulha. Inscrições através do e-mail cb.fmc@pbh.gov.br .

DIA 27 DE SETEMBRO, ÀS 14H

  • De Perto e de Dentro: mapeamento de vizinhança

A formação abordará a produção de mapeamentos coletivos que, para além dos diagnósticos urbanos que pretendem detectar problemas, se propõem a identificar potencialidades e redes de colaborações pré-existentes nos territórios de atuação, como recursos para a compreensão e transformação de espaços. Esta formação faz parte do projeto “Formações na Pampulha” – ação integrada entre o Museu Casa Kubitschek, a Casa do Baile e o Museu de Arte da Pampulha. Inscrições neste link.

DIA 28 DE SETEMBRO, ÀS 10H

  • Visita Mediada aos Jardins

Nesta visita, os participantes são convidados a percorrer os jardins do Museu, explorando suas características botânicas, estéticas e históricas. Os jardins do museu foram projetados por Roberto Burle Marx, o maior paisagista moderno. Sua concepção plástica, de grande liberdade e seu rigor botânico fizeram de sua obra um marco na história do paisagismo.

AOS FINAIS DE SEMANA

  • Distribuição de Mudas e Sementes

A distribuição de mudas e sementes é uma ação sistemática do museu e aqueles que visitam a instituição, nos finais de semana, têm a oportunidade de levar para casa uma lembrança dos jardins de Burle Marx.

Os jardins do Museu foram projetados por Roberto Burle Marx, em 1943, e contam com mais de oitenta espécies, em sua maioria, originárias de regiões tropicais. Burle Marx contribuiu para a valorização das espécies tropicais, apresentando para o mundo a flora brasileira. O que muitas vezes era considerado mato, tornou-se matéria-prima nas mãos do maior paisagista moderno.

EXPOSIÇÕES

  • Pampulha: Território da modernidade

Com um viés historiográfico, a exposição contextualiza as várias “Pampulhas” no tempo e no espaço, trazendo informações desde a época do Arraial de Santo Antônio da Pampulha Velha, em fins do séc. XIX, até a construção do Conjunto Arquitetônico da Pampulha.

Visitação: terça a domingo, das 9h às 18h.

  • Casa Kubitschek: Uma invenção modernista do morar

A mostra apresenta uma narrativa de dois eixos que se interpenetram: um referente à história e outro referente à memória. A proposta é de uma exposição referenciada no Modernismo, tanto no campo da arquitetura residencial, quanto no design de móveis.

Visitação: terça a domingo, das 9h às 18h.

  • Bordando Memórias – local: Centro Cultural Pampulha

No dia 6 de setembro o Centro Cultural Pampulha (Rua Expedicionário Paulo de Souza, 185, Urca) inaugura a exposição “Bordando Memórias”. A mostra apresenta os bordados confeccionados nas oficinas realizadas pelo Museu Casa Kubitschek em 2017 e 2018. Em 2017 foram bordados os móveis modernistas do museu e em 2018 a temática escolhida foi os jardins. Um grupo bordou as plantas que compõem os jardins de Burle Marx e o grupo de bordadeiras do Centro Cultural Pampulha trabalhou com os jardins de suas memórias. A exposição poderá ser visitada até o dia 28, de terça a sexta, das 9h às 18h e aos sábados, das 9h às 13h.

Ícaro Ambrósio
Ícaro Ambrósio é jornalista e editor-chefe do site O Contorno de BH.

Deixe uma resposta

Top