Você está aqui
Início > EM BH > Vereadores estão preocupados com privatização do metrô

Vereadores estão preocupados com privatização do metrô

Foto: Ana Lívia do Nascimento.
Foto: Ana Lívia do Nascimento.

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), que opera, dentre outras praças, o metrô de Belo Horizonte, poderá ser repassada à iniciativa privada por meio de leilão. Conforme a Resolução nº 60, de 8 de maio de 2019, a CBTU foi incluída no programa de privatizações do governo federal. A previsão é que o edital seja publicado no segundo semestre de 2021, e que o leilão aconteça no primeiro semestre de 2022.

Dentre as justificativas que constam na resolução estão “a necessidade de ampliar as oportunidades de emprego e estimular o desenvolvimento econômico nacional” e a “melhoria dos serviços prestados”. Os impactos da medida no transporte público da capital será tema de audiência pública da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário na próxima segunda-feira (14/10), às 10h30, no Plenário Amynthas de Barros. O debate foi solicitado pelos vereadores Arnaldo Godoy (PT), Gilson Reis (PCdoB) e Pedro Bueno (Pode).

Constam da lista de convidados representantes dos legislativos estadual e federal.  De acordo com o requerimento, deputados federais por Minas Gerais já iniciaram a discussão, e em maio deste ano solicitaram à Câmara dos Deputados a realização de uma Mesa Redonda, a fim debater com representantes da sociedade civil, sindicatos dos trabalhadores destas empresas e dos Poderes Público Federal, Estadual e Municipal, os efeitos e consequências da Resolução N° 60.

Na justificativa para a Mesa Redonda, os parlamentares argumentam que como as empresas que passaram a administrar as ferrovias optaram pelo transporte de cargas, centenas de milhares de pessoas ficaram com sua mobilidade prejudicada. Ainda no texto, reconhecem que o transporte metroviário necessita de grandes investimentos para ampliar a sua malha,  e que em todos os países desenvolvidos esse modal recebe subsídios públicos, portanto, privatizar esses serviços poderá representar o sucateamento do que temos nas cidades atendidas por essas empresas.

Ícaro Ambrósio
Ícaro Ambrósio é jornalista e editor-chefe do site O Contorno de BH.

Deixe uma resposta

Top