Você está aqui
Início > Artigos > Como revestir a casa de forma prática e com menor custo

Como revestir a casa de forma prática e com menor custo

A autora Simone Las Casas é diretora de marketing da empresa Ecogranito (foto: divulgação).
A autora Simone Las Casas é diretora de marketing da empresa Ecogranito (foto: divulgação).

O desenvolvimento da engenharia e de seu elo com a arquitetura possibilitam que novas ideias em decoração e ambientação surjam a cada dia, reunindo estilos particulares e valorizando importantes conceitos como a inovação, praticidade e custo-benefício.

Nos últimos anos, uma das novidades de maior destaque destas áreas se traduz no surgimento dos revestimentos inteligentes. Compatíveis a inúmeros ambientes, contextos e superfícies, essa nova ideia em revestimento também abarca grande versatilidade e economia, sem perder a estética elegante e imponente de seus materiais originários. Ao garantir resultados de alta qualidade e durabilidade, em um menor período de tempo, este novo revestimento representa um profundo aperfeiçoamento dos processos de construção, reforma e decoração.

Atualmente, o principal exemplo deste tipo de revestimento no Brasil é o Ecogranito. Composto por uma massa acrílica de base aquosa, o produto é adaptável a superfícies planas, curvas ou de formatos irregulares, podendo ser aplicado em diversos materiais como o vidro, madeira, chapisco, reboco, placas cimentícias, drywall, policarbonato e isopor, entre outras. Com a aparência final semelhante ao das rochas ornamentais do granito, o material é de aplicação mais célere e prática, e seus impactos são mínimos ao meio ambiente. Além de paredes, o Ecogranito também pode ser usado para revestir outros itens decorativos, como vasos de plantas, churrasqueiras, bancadas, tampos de mesa, e dentre outros.

Outro exemplo de revestimentos versáteis são os em 3D.  Comercializados, na maioria das vezes, em painéis de diversos tamanhos, este material garante uma performance mais flexível em vista da aplicação da matéria-prima original. Já as paredes de tijolinhos são um exemplo da evolução em revestimentos internos e externos. Este tipo de trabalho resgata a aparência rústica das torres e palácios da Roma antiga, e hoje ganha uma versão mais atualizada em painéis de PVC, de rápida e fácil aplicação, e com um produto final dinâmico e cheio de personalidade.

Por fim, podemos falar sobre as múltiplas possibilidades que acompanham os revestimentos tridimensionais. Com eles, é possível combinar os estilos e propostas de cada ambiente. Como por exemplo, um espaço que inspira modernidade e elegância, logo se pensa em revestimentos mais clássicos, talhados e conciliados às rochas ornamentais. Porém, a extração dessa matéria em grande demanda, afeta sinuosamente o meio ambiente, bem como sua aplicação e comercialização de alto custo. Por serem mais viáveis e garantirem a rápida entrega de obras e projetos, bem como a economia de gastos, os revestimentos tridimensionais se tornaram uma boa alternativa para construções.

Acredito que é essencial salientar que o mundo hoje opera ao passo da agilidade e praticidade, seja em qualquer setor do mercado. Então, materiais que unam qualidade, agilidade, estética e menor custo, com certeza irão garantir melhores resultados e um baixo risco de surgimento de problemas estruturais futuros.

Ícaro Ambrósio
Ícaro Ambrósio é jornalista e editor-chefe do site O Contorno de BH.

Deixe uma resposta

Top